SPPC
Sociedade Portuguesa
de Psicologia Clínica

A Sociedade : Formação




WebdesignWebdesign:
D Arcy Albuquerque


IV. Critérios Transitórios -  

Em vigor até 31 de dezembro de 2016 - 
PARA OS ANOS QUE INICIARAM A FORMAÇÃO ATÉ JANEIRO DE 2013 (inclusive)


I.        
ASSIDUIDADE

A assiduidade relativa às formações anteriores ao ano de 2011/2012, assenta apenas numa organização de seminários, validados com assiduidade de ≥ 66%. A não validação exige a repetição/realização desses seminários, até final do Curso (*1).

Em 2011/2012, introduziu-se a categoria de Unidade de Formação que passou a incluir vários seminários que lhe conferem, em termos temáticos, um carácter integrador.

Dado que têm vindo a ser introduzidos novos seminários e/ou alteradas as cargas horárias de outros que se mantêm na organização do Plano de formação em Psicoterapia, numa perspectiva de convergência o Sector de formação elaborou planos transitórios de avaliação da Assiduidade que procuram contemplar as alterações introduzidas em Unidades Formativas, (ver exemplo na página 4). Assim, foram estabelecidas para cada ano unidades de formação - que constam do processo do Formando - cuja Assiduidade é validada para uma frequência ≥80% (critério pretendido para cada unidade). Todavia, atendendo à transitoriedade dos critérios pelas razões já referidas e na perspectiva de não prejudicar os formandos, introduziu-se o grau de tolerância dos ≥ 66% (dois terços da carga horária) para a validação cada unidade agora estabelecida, exigência anteriormente praticada para cada seminário. A avaliação da assiduidade das unidades não validadas far-se-á seminário a seminário como era prática até 2010/2011 (inclusive). O que significa que os seminários dessas Unidades que registaram uma assiduidade <66% terão de ser repetidos/realizados até final do curso.



II.        PROCESSO PSICOTERAPÊUTICO PESSOAL

Considera-se validado o Processo Psicoterapêutico com duração mínima de três anos, consecutivos e com frequência semanal.

Caso o Terapeuta não seja membro da SPPC, este deverá ser psicoterapeuta de orientação dinâmica, reconhecido pela Sociedade e com uma formação equiparada à dos seus membros especialistas. Neste caso o Formando deverá solicitar a validação ao Sector de Formação.

O formando tem a obrigatoriedade de anualmente entregar ao Sector de Formação uma declaração do próprio, ratificada pelo seu Psicoterapeuta.


(*1): Esta percentagem vem sendo praticada desde há muito tempo, embora aquém da exigência dos 80% plasmados nos Regulamentos.

 

III.        SUPERVISÃO

No final do processo formativo, o formando deverá ter realizado, no mínimo 200 horas de Supervisão, contemplando obrigatoriamente 150 horas de apresentação de casos próprios com Supervisor da SPPC - ou com Supervisor por ela reconhecido, no caso do Porto (*2).

A supervisão deverá ter uma regularidade bimensal.

O formando tem a obrigatoriedade de anualmente entregar ao Sector de Formação uma declaração do próprio ratificada pelo(s) seu(s) Supervisor(es).



IV.        PRÁTICA CLÍNICA

Esta poderá decorrer em instituição ou consultório privado e, deverá ser exercida com regularidade. 

O formando tem a obrigatoriedade de anualmente entregar ao Sector de Formação uma declaração do próprio sobre a sua prática, mediante compromisso de honra. 

(*2) Esta situação manter-se-á enquanto o Porto não possuir Supervisores da SPPC em número suficiente.



V.        MEMORIAIS

Para além da satisfação das condições acima expostas, o formando deverá:

A) No final do 2º ano apresentar um memorial sucinto, de reflexão sobre a sua prática, que inclua o desenvolvimento do estudo de pelo menos um caso em supervisão e integre uma reflexão sobre os conhecimentos adquiridos ao longo dos dois primeiros anos de formação.

Este memorial será apresentado ao supervisor (credenciado pela SPPC) que acompanha o candidato em formação, emitindo este um parecer que condicionará a passagem para o 3º ano do membro em formação. Após apreciação do parecer do supervisor pela Comissão Científica o mesmo deverá ser ratificado em reunião de Direcção.

Os formandos do 3º e 4º ano que à data não tenham apresentado o seu memorial de 2º ano deverão fazê-lo antes de iniciarem a elaboração do Memorial final.

No caso do Porto - atendendo a que a formação começou mais tarde - os formandos que concluírem o 4º ano até Dezembro de 2013 poderão substituir este Memorial por uma reflexão sobre o seu processo formativo e as implicações do mesmo na sua prática clínica.

Este memorial deverá obedecer às normas científicas da APA e deverá ter um intervalo de 12 a 25 páginas.

 
B) A atribuição do título de especialista em psicoterapia, é condicionada à apresentação de um memorial de fim de formação, baseado na teoria e práticas adquiridas. Deverá incluir uma reflexão sobre o percurso pessoal como psicoterapeuta em formação e a apresentação de pelo menos um caso clínico (em supervisão), com aprofundamento dos aspectos psicopatológicos. Este memorial será apresentado ao supervisor (credenciado pela SPPC) que acompanha o candidato em formação, emitindo este um parecer. O memorial será apreciado e debatido por um júri constituído por três elementos, membros especialistas (um dos quais o seu supervisor) ou especialistas-titulares, cabendo a presidência a um membro especialista-titular ou, em caso de necessidade, a um membro especialista com credenciação de supervisor.

Poderão fazer parte deste júri elementos externos à SPPC, reconhecidos pelo seu indiscutível mérito e competência, até ao limite de 50 % da totalidade do júri.

Este memorial deverá obedecer às normas científicas da APA. É necessário enviar ou entregar quatro exemplares.

 

Unidades de Formação

Seminários

 

Unidade I  -  A Pessoa do Psicoterapeuta  (24h)

Desenvolvimento Pessoal do Psicoterapeuta -6h

Treino de Competências de Intervenção – 9 h

Ética e Deontologia -  9h

……….

………………………

Unidade II  -  Fundamentos Teóricos (15h)

Teorias Psicanalíticas  – 9h

Perspectivas Emergentes – 6 h

……

……..

…………………………

Unidade III - Psicoterapias psicodinâmicas e Técnicas psicoterapêuticas I  (42h)

Abordagem Psicoterapêutica do Pedido de Ajuda - 9h

Psicoterapia Psicodinâmica 9h

Psicoterapia  com Crianças – 6 h

Psicoterapia  com Adolescentes– 9h

Técnicas e Relação Terapêutica – 9 h

Unidade IV - Grupo de Intervisão  (18h)

Grupo de Intervisão  (18h)

----------------

--------------------

---------------------

………………………

Exemplo: Conversão do 1ºano de 2011/2012 em Unidades de Formação do Novo Plano

Voltar

 ©2008 SPPC - Sociedade Portuguesa de Psicologia Clinica